Literatura de informação, conheça!

Após a descoberta do Brasil, os portugueses começaram a descrever as maravilhas da nova terra. A literatura brasileira começou com a carta de Pero Vaz de Caminha anunciando a descoberta do rei de Portugal. Essa tendência descritiva continuou nos séculos XVI e XVII. nas obras dos missionários europeus. José de Anchieta escreveu em português sobre o Brasil e é considerado o pai da literatura brasileira. Neste início, temos também a literatura de informação, mas o que é essa literatura no Brasil?

Para entender, precisamos resumir um pouco o contexto histórico do início da literatura no país.

Começo da literatura no Brasil: o Quinhentismo brasileiro

A literatura do Brasil começou no século 16, o primeiro documento que pode ser considerado literatura brasileira é a Carta de Pero Vaz de Caminha, que ilustra as maravilhas da nova terra. Nos dois séculos seguintes, a criação literária foi controlada por revistas de viajantes e tratados descritivos sobre a “América portuguesa”.

Um exemplo literário mais claro foi o de José Basílio da Gama, que escreveu um poema épico em memória da conquista das Missões pelos portugueses. No final do século XVII, apareceu o primeiro escritor brasileiro nativo, Gregório de Matos Guerra, que criou uma quantidade considerável de poesia satírica, religiosa e secular.

A esse começo, damos o nome de Quinhentismo, que perdura até o começo do século 17.

Literatura de informação no Brasil

As produções literárias da literatura de informação fazem parte do Quinhentismo, que são as primeiras produções textuais feitas ou inspiradas no Brasil. Na literatura de informação, os textos tinham o propósito de informar à coroa portuguesa e possíveis exploradores sobre as terras que foram descobertas.

Quinhentismo no Brasil

A chegada dos portugueses ao Brasil marca também o início de nossa produção literária com o Quinhentismo. (Foto: JMU LIbraries)

Literatura de informação: características

Escrivães que compunham as expedições portuguesas eram os responsáveis por relatarem o que foi encontrado nas novas terras. Essa literatura e as crônicas eram compostos por descrições e adjetivos, com um certo deslumbre pelo que foi encontrado. A literatura de informação também recebe o nome de crônicas do viajante, pois era também uma certa forma de diário da viagem.

Havia a descrição clara da paisagem, povos, costumes, rituais e estrutura social das terras descobertas. São os primeiros registros escritos do Brasil, país onde os índios tinham apenas uma cultura oral.

Primeiros textos e produções de literatura no Brasil

A “Carta de Pero Vaz de Caminha” ou “Carta a el- Rei Dom Manoel sobre o achamento do Brasil” é considerada o marco inicial da literatura brasileira, o primeiro texto escrito em nossa terra e o primeiro texto de literatura de informação dentro do Quinhentismo, do qual também faz parte a literatura de catequese. Esta, por sua vez, tinha por função catequizar e educar religiosamente os novos povos da nação brasileira para a religião cristã, e eram escritos pelos jesuítas.

Literatura de informação: escritores e obras

Pero Vaz de Caminha é, com certeza, o representante mais conhecido do Quinhentismo e, principalmente, da literatura de informação. Junto a ele, podemos incluir Pero Lopes de Souza, Sua obra, Diário de navegação, de 1530, incluía informações para os navegadores que vinham ao país.

Pero de Magalhães Gândavo teve como primeira obra Tratado da Província do Brasil e História da Província de Santa Cruz, a que vulgarmente chamamos de Brasil (1576). Este relato histórico já descreve o desenvolvimento do país após o início da colonização.

Fernão Cardim e sua obra Narrativa epistolar e Tratado das terras e das gentes do Brasil (1583), começando então a retratar os povos e a população que aqui começava a se instalar. Gabriel Soares de Souza e sua obra Tratado descritivo do Brasil (1587) completam esta lista, e logo depois, temos o início de produções literárias de novos movimentos no país.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário