Romances regionalistas são um tipo de romance único. Escritos no mundo todo, eles também são responsáveis por retratar momentos históricos e descrever diferentes regiões, culturas, e aspectos únicos. Muitos escritores famosos começaram com romances regionalistas, passando para outros tipos logo depois, mas sempre cultivando um pouco de suas raízes regionais em suas obras.

O que é o romance regional?

O romance regional é um gênero de ficção que é definido em uma região reconhecível. Ele descreve características que distinguem a vida, relações sociais, costumes, idioma, dialeto ou outros aspectos da cultura daquela área e de seu povo. A ficção com um forte senso de geografia, topografia ou paisagem também é coberta por esta definição. A cultura regional pode ser usada para ilustrar um aspecto da vida em geral, ou os efeitos do meio ambiente sobre as pessoas que vivem nele.

Características do romance regionalista

Descrição detalhada de um lugar, cenário ou região, geralmente rural, com uma aproximação a um lugar real.

Personagens geralmente de origem de classe média ou classe baixa.

Diálogo com algum esforço pelo realismo.

A ficção regionalista concentra-se em características específicas – caracteres, dialetos, costumes, história e topografia – de uma determinada região.

Muitas vezes há nostalgia e sentimentalismo na escrita, já que a região reflete a estreita associação do autor.

Exemplos de autores regionalistas

Exemplos notáveis ​​desse gênero são:

Bernardo Guimarães, em suas obras:

  • O Garimpeiro (1872)
  • O Seminarista (1872)
  • A Escrava Isaura (1875)
  • O Pão de Ouro (1879)

Visconde de Taunay, em suas obras:

  • Inocência (1872)
  • A Retirada da Laguna (1871)

José de Alencar, em suas obras:

  • O Sertanejo (1875)
  • O Gaúcho (1870)
  • Til (1872)
  • O Tronco de Ipê (1871)

Franklin Távora, em suas obras:

  • Um Casamento no Arrabalde (—-)
  • O Cabeleira (1876)
  • O Matuto (1878)
  • O Sacrifício (—-)

Com o passar dos anos, a percepção e representação da natureza e da paisagem mudaram. Há uma evolução, passando da pastoral para uma representação mais realista da sociedade rural brasileira.

Romance regional

O romance regional é um tipo de produção textual que enaltece as características de uma dada região e da vivência do autor naquele local. (Foto: Altervista)

Aspectos sociais do romance regionalista

O romance regional é um derivado do romance social. Demonstra como o meio ambiente influencia seus habitantes. O conceito de uma “região” tem implicações políticas e sociais. Dessa maneira, a escrita de um autor sobre uma dada região pode ser vista como escrita regional, embora o local descrito possa nunca ser denominado como uma “região”, apesar de ser distinta do resto do Brasil.

Escritores regionais são geralmente associados a regiões rurais. Autores que se concentram em grandes centros urbanos raramente são descritos como “regionalistas”. Alguns autores escreveram literatura “regional” e “mainstream” durante suas carreiras. Outros autores rejeitaram o termo considerando-o limitante à descrição de seu trabalho.

Até nos dias de hoje, ainda encontramos diversos elementos do romance regionalista nas obras de diversos autores. Muitos enaltecem a vida mais simples da zona rural, além dos desafios enfrentados no dia a dia. Outros retomam o regionalismo de outras épocas para destacar a vida rural em outras épocas nas fazendas, e a interação destas com o ambiente urbano em franca expansão.

Esperamos que não tenham ficado dúvidas sobre o romance regionalista. Conhecem outras obras de romances regionalistas? Quais? Deixem nos comentários suas participações. Sua contribuição é muito importante para nosso blog, nos ajudando a direcionar melhor as dicas e os textos que escrevemos para vocês.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)