O que é o barroco na literatura?

Escrito na categoria "Dicas de redação" por André M. Coelho.

O barroco é um estilo de arte que tem aspectos que passam pela pintura, escultura, e claro, pela literatura. Compartilhando de aspectos semelhantes, o barroco trouxe diversas inovações e e mudanças em relação aos estilos prévios. Vamos conhecer a história do barroco e as características do barroco na literatura.

O que é barroco?

O barroco na verdade expressou novos valores, que muitas vezes são resumidos no uso da metáfora e da alegoria, amplamente encontrados na literatura barroca, e na pesquisa da “maraviglia” (maravilha, espanto – como no marinismo), o uso de artifícios. A dor psicológica do homem – um tema dissolvido depois das revoluções copernicanas e luteranas em busca de âncoras sólidas, uma prova de um “poder humano supremo” – deveria ser encontrada tanto na arte quanto na arquitetura do período barroco. Virtuosidade foi pesquisada por artistas (e o virtuoso tornou-se uma figura comum em qualquer arte) juntamente com realismo e cuidado com detalhes (alguns falam de uma “complexidade” típica).

O privilégio dado a formas externas teve que compensar e equilibrar a falta de conteúdo que tem sido observada em muitas obras barrocas: a “Maraviglia” de Marino, por exemplo, é praticamente feita da forma pura e simples. Fantasia e imaginação devem ser evocadas no espectador, no leitor, no ouvinte.

Tudo foi focado em torno do homem individual, como uma relação direta entre o artista, ou diretamente a arte e seu usuário, seu cliente. A arte é então menos distante do usuário, mais diretamente se aproximando dele, resolvendo a lacuna cultural que costumava manter a arte e o usuário reciprocamente longe, por Maraviglia.

Mas o aumento da atenção ao indivíduo, também criou nesses esquemas alguns gêneros importantes como o Romanzo (romance) e permitiu que formas populares ou locais de arte, especialmente literatura dialetal, fossem colocadas em evidência. Na Itália, esse movimento em direção ao indivíduo isolado (que alguns definem uma “descendência cultural”, enquanto outros indicam como uma possível causa da oposição clássica ao barroco) fez com que o latim fosse definitivamente substituído pelo italiano.

Na Espanha, os escritores barrocos estão enquadrados no Siglo de Oro. O naturalismo e os pontos de vista fortemente críticos sobre a sociedade espanhola são comuns entre escritores conceituais como Quevedo, enquanto os autores culteranos enfatizam a importância da forma com imagens complicadas e o uso da hipérbaton. Na Catalunha, o barroco também se instalou em catalão, com representantes de poetas e dramaturgos, como Francesc Fontanella e Francesc Vicenç Garcia, e do emblemático livro Atheneo de Grandesa, de Josep Romaguera. Na América Colonial Espanhola, alguns dos escritores barrocos mais conhecidos foram Sor Juana e Bernardo de Balbuena, no México, e Juan de Espinosa Medrano e Juan del Valle y Caviedes, no Peru.

No Império Português, o escritor barroco mais famoso da época era o padre António Vieira, um jesuíta que viveu no Brasil durante o século XVIII. Os escritores secundários são Gregório de Matos e Francisco Rodrigues Lobo.

Na literatura inglesa, os poetas metafísicos representam um movimento estreitamente relacionado; sua poesia também buscava metáforas inusitadas, que depois examinavam com detalhes extensos. Seu verso também manifesta um gosto pelo paradoxo, e reviravoltas deliberadamente inventivas e incomuns.

Definição da literatura barroca

A literatura barroca faz parte de uma grande época da literatura brasileira, contribuindo muito como base das literaturas que vieram depois. (Foto: don Quijote)

Características do período literário barroco

O período barroco tem várias características únicas. As principais características desse estilo são as seguintes.

Dualismo

O barroco contrasta o homem entre a religião e o espírito humanista. É o contraste entre a era medieval e o Renascentismo. O dualismo de fé e razão, corpo e alma, vida e morte são claramente visíveis na literatura barroca, buscando a fusão entre esses elementos e não apenas sua divisão.

Fugacidade

Tudo é passageiro no estilo literário barroco. As pessoas, o ambiente, e o mundo são efêmeros.

Pessimismo

Incertezas são parte da literatura barroca. É uma forma de arte pessimista, desencantada com o homem e com o mundo.

Feísmo

O barroco é atraído pelo trágico, pelo cruel, e pelo grotesco. Há deformações, detalhes que rompem com o que é harmônico, com uma quebra com a arte equilibrada e balanceada dos períodos prévios.

Cultismo

O uso do culto da língua, com o predomínio de inversões sintáticas.

Conceptismo

Retórica e raciocínio para explicar conflito entre opostos, entre a dualidade.

Linguagem

A linguagem vai a extremos em trabalho. Usa recursos estilísticos, figuras de linguagem, sintaxe, hipérboles, metáforas, antíteses e paradoxos. Ao mesmo tempo, é uma literatura moralista para pregar a fé e a religião.

Movimento literário barroco no Brasil

O movimento literário barroco foi um dos primeiros movimentos literários no Brasil. É importante pois foi a primeira quebra com a literatura clássica, começando a questionar a imposição da fé sobre tudo e todos.

Ficou alguma dúvida sobre a literatura barroca? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos ajudar!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

André é formado em pedagogia, já tendo dado aulas na educação infantil e atuado como professor e coordenador de cursos de inglês. Entendendo como funciona o processo de aprendizagem, decidiu escrever para o blog Provas Discursivas. Assim, compartilha postagens sobre métodos de estudo, provas, redações, escrita, concursos e muito mais para ajudar seus leitores a aprenderem.

Deixe um comentário