Tipos de orações fazem parte de qualquer estudo de gramática da língua portuguesa. Dentre os tipos de orações, temos as orações coordenadas. Compreender e entender esse tipo de orações e sua estrutura contribuirá para encontrar estruturas corretas nas orações e melhorar também sua construção de frases corretamente.

O que são orações coordenadas?

Na gramática portuguesa, uma oração coordenada é uma frase (isto é, um grupo de palavras contendo um sujeito e predicado) que é introduzida por uma das conjunções de coordenação – mais comumente E ou MAS. Uma sentença pode ser composta por uma ou mais cláusulas de coordenadas unidas à cláusula principal. São sentenças que funcionam de forma independente, e uma não depende da outra.

Exemplos de orações coordenativas

Era o tempo da flor de macieira e os dias estavam ficando mais quentes.

Eu não era fã da maioria dos vegetais, mas não me importava com as ervilhas.

Eles comeram a sobremesa, e nenhum deles mencionou o fato de que ela estava levemente queimada.

Tipos de orações coordenadas

Orações coordenadas podem ser sindéticas ou assindéticas.

Sindéticas: são orações coordenadas que são introduzidas por conjunções..

Exemplo: Pode ter chovido ontem, pois o chão está molhado.

Assindéticas: são orações coordenadas que não são introduzidas por conjunções.

Exemplo: Tudo passa, tudo corre: é a lei.

Orações coordenadas

Orações coordenadas são parte essencial da gramática, e sua construção e estrutura devem ser compreendidas pelos falantes da língua portuguesa. (Foto: Wonderopolis)

Tipos de orações coordenadas sindéticas

As orações coordenadas sindéticas podem ainda ter sub-classificações.

Orações coordenadas sindéticas aditivas

Ideia de adição ou soma com a oração. Conjunções aditivas são E, NEM, MAS, TAMBÉM.

Exemplo: Não vendo minha coleção, nem (vendo) o que está quebrado.

Orações coordenadas sindéticas adversativas

Ideia de oposição e adversidade. Conjunções adversativas são MAS, PORÉM, TODAVIA, CONTUDO, ENTRETANTO, NO ENTANTO.

Exemplo: Gostaria de ter saído, mas não tinha dinheiro.

Orações coordenadas sindéticas alternativas

Ideia de alternância. Conjunções alternativas são OU…OU, ORA…ORA, JÁ…JÁ, QUER…QUER, SIGA…SIGA.

Orações coordenadas sindéticas conclusivas

Ideia de conclusão. Exemplos de conjunções conclusivas são PORTANTO, LOGO, POR ISSO, POIS, ASSIM.

Exemplo: Os políticos são eleitos portanto devem respeitar a vontade do povo.

Orações coordenadas sindéticas explicativas

Ideia de explicação; Exemplos de conjunções explicativas são QUE, PORQUE, POIS, PORQUANTO.

Exemplo: Senti calor porque o ar condicionado estava desligado.

Combinando orações

A unidade básica na sintaxe é a oração. Muitos enunciados consistem em uma única oração, mas também há regras para combinar orações em unidades maiores. A maneira mais simples é usar uma conjunção de coordenação, e, mas, assim e ou. parecem itens bastante insignificantes, mas representam um grande avanço em relação a qualquer coisa que possamos imaginar, mesmo na forma mais sofisticada de comunicação animal, e são provavelmente mais complexos do que muitas pessoas imaginam.

Orações coordenadas e Orações subordinadas

Cláusula é um grupo de palavras que são relacionadas e compreende um sujeito e um verbo. Aqui, o sujeito fala sobre a sentença, enquanto o verbo mostra o que o sujeito está fazendo. No entanto, a cláusula é bem diferente de uma frase, pois não tem um sujeito ou um verbo.

Uma cláusula subordinada também é referida como uma cláusula dependente e não pode ficar sozinha, pois não expressa um significado completo. No entanto, uma cláusula subordinada compreende um sujeito e um verbo.

Esperamos não ter deixado qualquer dúvida. Se ficou alguma dúvida, deixe nos comentários e iremos ajudar.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)