Um sujeito é um dos cinco principais elementos da estrutura da cláusula. Os outros quatro são: verbo, objeto, complemento e adjunto. Os assuntos são essenciais em cláusulas declarativas, negativas e interrogativas. Entender a definição de sujeito e sua função em orações é essencial para um bom uso da língua portuguesa.

O que é sujeito?

O sujeito age como o “fazedor” ou agente de uma ação. Os sujeitos são tipicamente frases nominais (por exemplo, um substantivo ou pronome e quaisquer palavras dependentes antes ou depois):

  • A professora disse à turma para se sentar. (determinador substantivo)
  • Ele não come carne? (pronome)
  • A primavera é como uma lufada de ar fresco depois de um inverno dentro de casa. (substantivo)
  • José é muto bom no esporte. (nome próprio)
  • Eles não abrem a loja aos domingos. (pronome)

Posição do sujeito na oração

A posição do sujeito pode ser de ordem direta, ordem inversa ou sujeito no interior do predicado

Ordem direta é quando o sujeito aparece antes do predicado.

Exemplo: As pombas voavam calmas.

Sujeito: As pombas

Predicado: voavam calmas

Ordem inversa é quando o sujeito aparece depois do predicado.

Exemplo: Voavam calmas as pombas

Predicado: Voavam calmas

Sujeito: As pombas

Sujeito no interior do predicado é quando ele aparece dentro do predicado.

Calmas, as pombas voavam

Predicado: Calmas

Sujeito: as pombas

Predicado: voavam

Funções dos sujeitos

Sujeitos são partes integrais de uma frase, e partes importantes de nossa gramática. (Foto: Gabinete Português de Leitura)

Tipos de sujeitos

Existem 5 tipos ou classificações para o sujeito: simples, composto, oculto, indeterminado, inexistente.

Sujeito simples possui apenas um núcleo, sendo este a ideia principal do sujeito.

O dia está triste.

Núcleo: dia

Sujeito composto possui mais de um núcleo.

João e Maria são um casal lindo.

Núcleo: João e Maria

Sujeito oculto é aquele do qual se sabe a existência, mas não aparece explicitado na oração. A desinência ou terminação verbal auxilia na identificação do sujeito.

Irei para a casa da vovó

Sujeito: Eu. A terminação -ei indica a primeira pessoa do singular, EU, no pretérito perfeito do modo indicativo. EU, no caso, é o sujeito oculto.

Sujeito indeterminado não está expresso e não há como ser reconhecido. Duas regras se aplicam a essa situação.

Verbo na terceira pessoa do singular acompanhado do pronome “se” e funcionamento como índice de determinação do sujeito:

Precisa-se de pessoas capazes no Governo.

Verbo na terceira pessoa do plural:

Falaram bem de nós no encontro.

Sujeito inexistente ou oração sem sujeito tem regras específicas para que ocorra. Exemplos incluem:

Verbos com fenômenos da natureza: chover, trovejar, ventar, nevar, relampejar.

Está chovendo muito no Sul.

Verbo haver no sentido de existir:

Há muita coisa boa dentro da vida.

Verbo fazer indicando tempo ou fenômenos da natureza:

Faz meses que não abraço alguém.

Fez dias de sol quente nesse verão.

Verbo ser indicando distância ou tempo:

Daqui a minha Chácara são 20 km.

Já é hora.

Como encontrar o sujeito na oração?

A forma mais simples de se encontrar um sujeito em uma oração é se perguntar quem está executando a ação da frase. A partir daí, você pode buscar os sujeitos na oração, ou seja, a pessoa ou pessoas que realizam a ação descrita pela oração.

Nomes próprios e pronomes são geralmente os sujeitos da frase. Por isso, ao encontrá-los, pode ser prático ver se eles são os autores da ação que é exercida na oração. Substantivos, em muitos casos, podem também ser sujeitos.

Saber qual é a concordância do verbo também ajuda, já que o verbo deve concordar com o gênero e número do sujeito.

Ficou alguma dúvida sobre sujeitos? Deixem nos comentários suas perguntas e faremos o possível para ajudar!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)