O uso dos porquês, entenda!

Iremos mostra para vocês como usar os porquês juntos, separados, com ou sem acento. Daremos vários exemplos abaixo para ilustrar as regras dos vários porquês que aparecem na gramática portuguesa e te ajudar a compreender melhor a gramática e aprimorando suas habilidades de escrita.

Uso do por que

O primeiro e mais básico uso dos porquês é com o “Por que”, separado e sem acento. Ele tem dois usos básicos na língua portuguesa.

Usamos o “por que” em perguntas com o significa do “por qual razão/motivo”, como nos dois exemplos abaixo:

Por que você não desgruda de mim? (por qual razão)

Não sei por que quero sair da escola. (por qual motivo)

Nesses dois casos, o pronome “que”, em junção da preposição “por”, será um pronome interrogativo.

Usamos também o “por que” como sinônimo de “pelo qual”, “pelos quais”, “pelas quais”, como no exemplo abaixo:

Os caminhos por que caminhamos foram difíceis. (pelos quais

Nesse caso, o pronome “que” é um pronome relativo.

Outros exemplos:

Por que ele não fala mais conosco? (por qual razão)

Seria importante saber por que os investimentos não estão dando lucro. (por qual razão)

Os motivos por que parei de debater são claros. (pelos quais)

Meu trabalho é a razão por que estudo. (pela qual)

O uso do por quê

O por quê separado e com acento circunflexo no “e” é usado quando vem antes de um ponto final, interrogativo, ou exclamação. Possui o mesmo significado do “por que” separado e sem acento, indicando “por qual motivo/razão”. Exemplos incluem:

Vocês não fizeram todos os exercícios? Por quê?

Escalar a montanha, por quê? Vamos de teleférico.

Ele não apareceu nem avisou por quê.

Eles riem por quê?

Afinal, tantos projetos parados por quê?

Uso dos porquês

Entenda o uso dos porquês para saber qual o correto para usar. (Foto: negocioefranquia.com.br)

O uso dos porques

Quando o porque é usado junto e sem acento, é usado geralmente em respostas. Serve como conjunção causal ou explicativa, tendo como sinônimos “pois”, “uma vez que”, “afim de”, entre outros. Exemplos com esse uso incluem:

Não fui até sua casa porque tinha que cuidar das crianças. (pois)

Busque suas próprias vitórias porque ninguém as buscará por você. (uma vez que)

Não saiu de casa porque estava cuidando de sua irmã. (pois)

Não poderia comprar aquele carro porque não tinha tirado a carteira. (uma vez que)

Não deu qualquer ajuda porque a procurassem na monitoria. (afim de)

O uso dos porquês

O porquê junto e com acento circunflexo no “e” é um substantivo. Seu significado é “motivo” ou “razão”, geralmente. É sempre acompanhado por um determinante, tal como um artigo, pronome, adjetivo ou numeral, tal como nos exemplos:

O porquê de eu não gostar de você é sua insistência. (motivo)

Diga-me um porquê para nossa separação. (razão)

Ela não entende o porquê de nosso amor. (motivo)

Quantos porquês existem em nossos corações?

Existem quatro porquês na Língua Portuguesa.

É muito importante praticar o uso dos porquês com exercícios que coloquem em prática a teoria aprendida neste artigo, ajudando na memorização das regras. Além da prática através de exercícios, a escrita de redações com o uso dos diferentes porquês vai auxiliar a melhorar suas habilidades com a gramática.

Esperamos não ter deixado qualquer dúvida, mas se vocês ainda tiverem alguma pergunta, sugestão, elogio ou crítica, o espaço de comentários abaixo é aberto para vocês participarem. Aguardamos ansiosos por vocês!

Deixe um comentário