A literatura de cordel é um dos patrimônios culturais brasileiros de maior importância. Tendo suas origens no nordeste, tem sido por décadas uma forma de manter a cultura nordestina viva na forma escrita.

Com centenas de autores existentes, os mais diversos temas são tratados em cordéis.

O que é literatura de cordel?

Literatura de cordel, é nomeada pela forma como é exibida por vendedores ambulantes e em feiras na região nordeste do Brasil: pendurada em uma corda. Eles são produzidos como panfletos ou livretos baratos e muitas vezes ilustrados com xilogravuras. É muito popular devido ao seu baixo custo de produção e baixo custo de venda.

Formato da literatura de cordel

Geralmente produzidos em preto e branco, em formato de quarto, livretos de cordel são geralmente ilustrados com xilogravuras. Com frequência, os nomes do autor ou poeta e do artista de xilogravura aparecerão nos créditos do livro. Dois escritores expressivos são Adir Botelho e José Francisco Borges, cujas xilogravuras foram expostas no Louvre e até no Smithsonian, dois dos maiores museus no mundo.

A literatura de cordel encontrou seu auge nas décadas de 20 e 30, com a lenda popular criada pelos cangaceiros de Lampião, o bando de foras-da-lei e bandoleiros que aterrorizaram a região por quase 20 anos. A Guerra de Canudos, um conflito militar no estado da Bahia, de 1896 a 1897, também tem sido tema frequente da literatura de cordel, devido às suas dimensões e importância épicas para a história do sertão nordestino.

A literatura de cordel ainda pode ser encontrada nos estados nordestinos, notadamente em Pernambuco, Paraíba e Ceará.

Literatura de cordel

A literatura de cordel é um patrimônio cultural brasileiro, e tem características regionais únicas. (Foto: blogs.transparent.com)

Tipos de literatura de cordel

Existem três tipos principais de poemas cordelianos:

O duelo poético oral, improvisado em forma escrita chamado peleja.

Literatura popular “tradicional”, em grande parte em um modo de ficção que lida com contos de fadas ou amor e aventura. O maior número de poemas em cordel está neste modo.

Não-ficção (em grande parte) histórias que relatam todos os tipos de eventos atuais do local para o internacional.

Por causa do último, o cordel tornou-se conhecido como o “jornal” em verso dos pobres do Nordeste e seu poeta “a voz do povo”. As histórias atuais dos eventos agora fornecem o elo principal na comunicação entre a mídia nacional e sua “recodificação” no jornal do povo em verso, em um linguajar regional que é melhor entendido pelo povo mais simples e humilde.

Onde conseguir a literatura de cordel?

Literatura Cordel está disponível em diversas bibliotecas públicas, como em bibliotecas municipais e de universidade . A melhor maneira de encontrar a literatura de cordel é pesquisando catálogos e bancos de dados de cordel na internet. Isso recuperará não apenas os títulos de literatura do Cordel, mas também trabalhará sobre isso. Muitos itens da coleção de literatura Cordel são armazenados online gratuitamente. Basta pesquisar e existem diversos lugares onde poderá encontrar os mais diversos textos da literatura de cordel.

Como estudar a literatura de cordel?

A literatura de cordel pode tratar dos mais diversos temas. Por isso, ela geralmente cai muito em provas e testes, principalmente quando trata de temas atuais. Uma forma de conhecer melhor a literatura de cordel é, simplesmente, lendo de bancos de dados gratuitos deste tipo de produção textual.

Além da leitura, é importante também fazer exercícios de resenha e interpretação dos textos. Isto pode contribuir para já prever como as questões serão elaboradas em provas e testes, além de ajudar na identificação de elementos textuais que são comuns a todas as produções de literatura de cordel.

Muitos autores famosos já usaram ou ainda usam elementos da literatura de cordel.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)