Derivação regressiva: o que é? Exemplos!

Na morfologia, a derivação é o processo de criar uma nova palavra a partir de uma palavra antiga, geralmente adicionando um prefixo ou um sufixo. A derivação pode alimentar a inflexão, mas não vice-versa. A derivação se aplica às formas-tronco das palavras, sem suas terminações flexionais, e cria novas hastes mais complexas regras flexionais podem ser aplicadas;

A mudança derivacional que ocorre sem a adição de um morfema vinculado (como o uso do substantivo impacto como um verbo) é chamada de derivação ou conversão nula. Já a derivação que ocorre pela redução de uma palavra existente é chamada de derivação regressiva.

O que é derivação na gramática?

A morfologia derivacional estuda os princípios que governam a construção de novas palavras, sem referência ao papel gramatical específico que uma palavra pode desempenhar em uma sentença.

A morfologia pode ser dividida em derivação – regras que formam uma nova palavra a partir de palavras antigas, e inflexão – regras que modificam uma palavra para encaixar seu papel em uma sentença, o que os professores chamam de conjugação e declinação.

A distinção entre morfologia flexional e morfologia derivacional é antiga. Fundamentalmente, é uma questão dos meios usados ​​para criar novos lexemas (afixos derivativos entre outros processos) e aqueles usados ​​para marcar o papel do lexema em uma sentença particular (acidental, morfologia flexional).

Parece que, embora nós provavelmente pode manter uma distinção entre a morfologia flexional e derivacional relativamente bem, embora com certos casos problemáticos que não invalida a noção fundamental, a distinção não é útil para nós em compreender quaisquer outros aspectos da morfologia . A classificação pode ser útil em termos de tipologia, mas não esclarece muito o comportamento dos processos morfológicos ingleses.

Exemplos de derivação regressiva

Quando novas palavras são formadas pela redução de uma palavra já existente, está ocorrendo a derivação regressiva. Exemplos de derivação regressiva incluem:

Boteco, de botequim

Mendo, de Flamengo

Comuna, de comunista

Agito, de agitar

Ajuda, de ajudar

Amasso, de amassar

Beijo, de beijar

Choro, de chorar

Debate, de debater

Perda, de perder

Abalo, de abalar

Alcance, de alcançar

Corte, de cortar

Atraso, de atrasar

Caça, de caçar

Venda, de vender

Derivação regressiva

A derivação regressiva é usada na gramática para a formação de palavras. (Foto: Authority Self Publishing)

Processo de derivação regressiva

Na derivação regressiva, obrigatoriamente estamos formando substantivos a partir de verbos. Recebem assim a denominação de substantivos deverbais. No processo “normal” de derivação, o processo normal é que se crie um verbo a partir dos substantivos. Muitas palavras usadas no dia a dia são provenientes do processo de derivação regressiva.

Outros exemplos de derivação

Outros tipos de derivação também existem, e contribuem para a formação de novas palavras em português

Derivação prefixal: derivação de palavras através do acréscimo de um prefixo.

Derivação sufixal: derivação de palavras através do acréscimo de um sufixo.

Derivação parassintética: ocorre com a adição de afixos (prefixo e sufixo) à uma palavra.

Derivação imprópria ou conversão: neste tipo de derivação, ocorre a mudança da classe gramatical da palavra.

Além dos processos derivacionais para a formação de novas palavras na gramática, a composição, abreviação e reduplicação também são processos pelos quais novas palavras são formadas.

Esperamos que não tenha ficado qualquer dúvida sobre a derivação regressiva. Caso tenha ainda alguma questão, deixe nos comentários. Estamos aqui para ajudar e auxiliar na chegada das melhores respostas possíveis!

Deixe um comentário