Como é calculada a nota de uma prova discursiva?

Em um mundo em que uma caneta e bolinhas em uma folha de respostas geralmente determina a nota de um aluno, que critérios o professor de redação usa para avaliar o trabalho de seus alunos? Afinal, com redação não se pode simplesmente marcar algumas respostas corretas e outras incorretas e descobrir uma porcentagem. A boa notícia é que a classificação de um texto pode ser tão fácil e direta quanto a classificação de testes de múltipla escolha com o uso de uma rubrica, uma tabela que é seguida por todos os corretores em provas para graduar uma prova discursiva. Como é feita essa rubrica e como ela funciona é o que vamos entender agora. Nosso guia vai ajudar tanto professores quanto alunos que querem entender como provas discursivas são avaliadas.

O que é uma rubrica para calcular notas?

Uma rubrica é uma tabela usado na classificação de trabalhos, projetos especiais e outros itens que podem ser mais subjetivos. Ele lista cada um dos critérios de classificação separadamente e define os diferentes níveis de desempenho dentro desses critérios. Testes padronizados como o ENEM usam rubricas para pontuar amostras de escrita, e projetar uma para seu próprio uso é fácil se você o levar passo a passo. Lembre-se de que, ao usar uma rubrica para classificar as redações, você pode criar uma rubrica para ser usada ao longo do semestre ou modificar a sua rubrica conforme as expectativas que você tem para os alunos aumentarem.

Notas de provas discursivas: o que deve ser incluído?

Quando os alunos escrevem textos, os professores geralmente procuram alguns elementos comuns. O texto de cada resposta deve ter boa gramática e mostrar o nível correto de vocabulário. Deve ser organizado e o conteúdo deve ser apropriado e efetivo. Os professores também analisam a eficácia geral do trecho. Ao avaliar amostras de escrita específicas, também podem ser incluídos outros critérios para a redação com base no material exigido pela prova. Pode ser escolhido avaliar o tipo de resposta que foram escritos e se quem fez a prova seguiu a direção específica que foi dada. Pode se avaliar o uso de informações e se foi apresentado corretamente o material de conteúdo exigido. Quando você escreve sua própria avaliação, pode avaliar qualquer coisa que considere importante quando se trata das habilidades de escrita de quem está sendo avaliado.

Uma tabela é feita, com a primeira coluna sendo os critérios sendo avaliados, e cada coluna seguinte correspondendo a uma nota diferente, de acordo com os critérios estabelecidos para cada nível de nota.

Como dar notas para produção de texto

Entenda como um texto recebe a nota para poder melhorar suas técnicas de escrita. (Foto: www.slate.com)

O que é a melhor nota em prova discursiva?

Usando os critérios de gramática, organização e efeito geral, uma rubrica pode ser escrita para avaliar as provas discursivas. A avaliação mais direta usa uma escala de pontos para cada um dos critérios. Tomando os critérios um de cada vez, um professor define quais são as expectativas para uma resposta de nota máxima, uma resposta 90% e assim por diante. Tomando a gramática como exemplo, uma resposta de nota máxima estaria livre da maioria dos erros gramaticais apropriados para o nível de aprendizado. Uma resposta de 90% teria alguns erros, mas usaria geralmente uma boa gramática. Uma resposta para notas menores mostraria erros gramaticais frequentes. Uma resposta de nota mais baixa mostraria que quem fez a prova não possuía o conhecimento gramatical apropriado para seu nível de aprendizado ou para o objetivo da prova. Tomando essas definições, esses critérios são colocados na rubrica.

O próximo passo é pegar cada um dos outros critérios e definir o sucesso para cada um deles, atribuindo um valor a cada um deles. Essas definições entram na rubrica nos locais apropriados para concluir uma tabela.

Cada um dos critérios marcará pontos para a resposta discursiva. As respostas que se encaixam nos critérios da primeira coluna após a descrição dos critérios valem mais pontos, a segunda coluna menos que a primeira e assim por diante.

Qual é o processo de classificação de uma prova discursiva?

Com os critérios definidos, é fácil classificar a redação. Ao classificar uma redação com uma rubrica, é melhor ler a redação uma vez antes de avaliar as notas. Depois, lendo a peça uma segunda vez, determina-se em que parte da escala a amostra de escrita se enquadra para cada um dos critérios. Se o estudante mostrar excelente gramática, boa organização e um bom efeito geral, ele marcaria uma nota máxima em gramática, uma nota um pouco menos em organização, e uma nota menor em efeito geral.

As instituições que aplicam as provas geralmente compartilham os critérios para avaliar as respostas de provas discursivas. Dessa forma, cada pessoa sabe onde precisa concentrar sua atenção para buscar a melhor nota. Há diferença na clareza das rubricas dependendo de quem está aplicando a prova, portanto não espere saber exatamente o que é exigido sempre.

O que é uma boa resposta em uma prova discursiva?

Apesar de variar, há uma estrutura básica na avaliação de respostas discursivas. Por favor, note que estas quatro categorias abaixo usadas para eleger as boas respostas discursivas interdependentes. Por exemplo, se sua evidência for fraca, isso quase certamente afetará a qualidade de seu argumento e organização. Da mesma forma, se você tiver dificuldade com a sintaxe, é de se esperar que suas transições sejam prejudicadas.

Respostas excelentes

Argumento: o avaliador sabe o que você quer dizer e por que quer dizê-lo. Vai além de apontar comparações para usá-las para mudar a visão do leitor.

Organização: cada parágrafo suporta o argumento principal de uma maneira coerente, e transições claras apontam porque cada novo parágrafo segue o anterior.

Evidências: exemplos concretos de textos apoiam pontos gerais sobre como esses textos funcionam. A resposta fornece a fonte e o significado de cada evidência.

Mecânica: a resposta usa ortografia e pontuação corretas. Em suma, geralmente exibe um bom domínio da prosa acadêmica.

Uma resposta mediana

Argumento: a resposta substitui um argumento por um tópico, dando uma série de observações relacionadas sem sugerir uma lógica para sua apresentação ou uma razão para apresentá-las.

Organização: as observações da resposta são listadas e não organizadas. Muitas vezes, isso é um sintoma de um problema na argumentação, já que o enquadramento do artigo não forneceu um caminho para a evidência a ser seguida.

Evidências: a resposta oferece muito pouca evidência concreta, em vez disso, baseia-se em resumos ou generalidades para falar sobre um dado assunto. Se a evidência concreta estiver presente, sua origem ou significado não é clara.

Mecânica: a resposta contém erros frequentes de sintaxe, concordância, referência de pronome e/ou pontuação.

Uma resposta ruim

Argumento: a resposta carece de um tópico consistente, fornecendo uma série de observações em grande parte não relacionadas.

Organização: as observações são listadas e não organizadas, e algumas delas não parecem pertencer a resposta. LInhas e parágrafos não têm coerência.

Evidências: a resposta não oferece evidências concretas dos textos ou usa indevidamente uma pequena evidência.

Mecânica: a resposta contém erros constantes e flagrantes de sintaxe, concordância, referência, ortografia e/ou pontuação.

Deixe um comentário